JÁ FOI TARDE No meio de tanta gente que por mot…

07/08/2003

JÁ FOI TARDE

No meio de tanta gente que por motivos profissionais está elogiando o “jornalista” roberto marinho é importante registrar que a obra do empresário recém falecido é digna de elogio porque ajudou a criar (para o bem ou para o mal) uma identidade nacional para nosso país. Já o cidadão roberto marinho não passava de um oportunista, que sempre soube aproveitar muito bem as condições especiais que os diversos governos por ele apoiados ofereceram, ao melhor estilo assis chateaubriand.

Por exemplo, em 1958 ajudou a conspirar contra o governo de juscelino kubitschek assinando o manifesto dos coronéis. Entre os signatários do manifesto estavam Golbery do Couto e Silva, Ernesto e Orlando Geisel, João Baptista Figueiredo, Emílio Médici, Castelo Branco, etc, todos pertencentes as fileiras do exército e o dr roberto marinho, o único civil entre os militares. Curiosamente esses mesmos militares do manifesto deram o golpe em 1964, tirando João Goulart do poder, e o sr roberto marinho, além de ser o primeiro a anunciar a nova ordem, aproveitou seus laços de amizade com os milicões para criar uma rede de tv que cobria todo o território nacional e servia sob medida para os interesses da doutrina de segurança nacional dos gorilas de plantão. E ele soube ser muito grato por todos os favores obtidos (com juros especiais) do governo militar, sendo incapaz de levantar a voz contra as piores atrocidades cometidas nos porões da ditadura. Entre tantos exemplos, ficamos com o mais simbólico, a cobertura da comício pelas diretas em São Paulo, em 1984, que a tv globo cinicamente descreveu como comemorações pelo aniversário da cidade.

Além disso, a liberdade de expressão nunca foi o forte do dr roberto, embora estejam tentando emprestar esse brilho a sua biografia. Para quem não sabe, o “jornalista” roberto marinho comprou um programa da BBC inglesa chamado Beyond Citizen Kane, programa que apresentava ao público inglês (e europeu) quem era o ambicioso empresário que pretendia montar um canal de tv na europa. Além de comprar todos os direitos sobre o programa, o dr roberto proibiu a exibição do mesmo no Brasil, impedindo que mais pessoas conhecessem os mecanismos que o transformaram num dos homens mais poderosos do país.

Outra coisa que esqueceram de comentar foi sua “obra literária”, que garantiu sua entrada na academia brasileira de letras. Alguém já leu algo que o “jornalista” roberto marinho escreveu? Não acredito.

E por essas e outras que eu afirmo com alívio: já foi tarde.